Anac define plano para malha aérea durante a Copa

Categoria: Empresarial Publicado por: Departamento Empresarial
As companhias aéreas que operam no mercado doméstico estão prontas para cumprir os prazos estabelecidos pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para definir a malha aérea especial durante a Copa do Mundo que o Brasil vai sediar no ano que vem. “O cronograma e o plano definidos pela agência ficaram bem dentro do que a gente vinha discutindo com o governo”, disse ao Valor o presidente da Associação Brasileira das Empresas Aéreas Abear), Eduardo Sanovicz.
Na sexta-feira, enquanto a Fifa fazia o sorteio para os jogos da Copa, a Anac divulgava os procedimentos para a definição da malha aérea no período entre os dias 6 de junho e 20 de julho do ano que vem. O objetivo desse cronograma é garantir maior agilidade nos ajustes das rotas e impedir que picos de demanda gerados pelo andamento da Copa deixem passageiros sem voos.
As companhias aéreas terão até o próximo dia 20 de dezembro para apresentar à Anac a solicitação para alteração ou inclusão de horários de partidas – os chamados “slots” nos aeroportos – para voos regulares, tendo como base a malha vigente no período de 13 de junho a 13 de julho deste ano.

A agência vai coordenar a distribuição de slots em 25 aeroportos, dos quais 12 nas cidades-sede e outros 13 localizados até 200 quilômetros de distância desses municípios. Depois que as empresas aéreas que voam malhas regulares submeterem suas propostas para o período de Copa do Mundo, as solicitações serão analisadas pela Anac, que divulgará o resultado final da alocação de “slots” até o dia 15 de janeiro de 2014.

A partir do dia 16 de janeiro, terá início o processo de alocação de “slots” para voos não regulares para cobertura do período dos jogos da fase de grupos (1ª fase) do Mundial, cujo calendário já estará definido. A partir dessa data, as empresas também poderão fazer modificações, sempre de acordo com a disponibilidade.

No dia 24 de junho de 2014, será aberto prazo para solicitação de “slots” para voos não regulares para a fase eliminatória, tendo em vista que a definição desses jogos dependerá da etapa anterior. Nessa fase, as companhias poderão alterar voos com 24 horas de antecedência, desde que comuniquem aos passageiros.

“O único ponto que pedimos e que não foi aceito pela Anac foi a abertura de alguns aeroportos, como Congonhas e Santos Dumont, por 24 horas durante a Copa”, disse Sanovicz.

Durante o período da Copa, em intervalo a ser posteriormente definido, as companhias aéreas também participarão diariamente do Centro de Controle e Coordenação. Nessas salas também estarão presentes representantes de órgãos públicos ligados às operações aéreas e aeroportuárias. (JJO)