JUIZ FEDERAL NORTE-AMERICANO ANALISA MEDIAÇÃO NO CENÁRIO INTERNACIONAL NA EPM 05/04/2016

A Escola Paulista da Magistratura recebeu como palestrante nesta segunda-feira (4) o juiz federal norte-americano John Clifford Wallace, do 9º Circuito da Califórnia (EUA), que falou sobre Cenários Internacionais de Mediação e Gerenciamento de Casos.

O desembargador Ricardo Sale Júnior abriu o evento e saudou o público, formado por “apaixonados pelo tema da mediação”, e o palestrante, “um entusiasta do tema da mediação, conciliação e gerenciamento de processos, que tem viajado pelo mundo para disseminar suas técnicas”.

Entre os tópicos abordados, John Clifford falou sobre o aprimoramento da Justiça e a relevância da segurança jurídica para o crescimento econômico das nações. “Não é a ampliação do quadro de juízes que resolve o problema dos gargalos no serviço da prestação jurisdicional e torna o Judiciário mais célere e eficaz, mas a combinação entre mediação e gerenciamento, adaptada à cultura de cada país”, observou.

De acordo com o palestrante, de cada dez casos levados ao Judiciário nos Estados Unidos, nove são resolvidos pela mediação. Ele enumerou diversas vantagens de um acordo no início do processo, entre elas a desnecessidade de dispêndios de várias naturezas no desenvolvimento processual, e a possibilidade de que partes beneficiem-se mutuamente, aproximando-as e pacificando-as. Também lembrou que a mediação “ganha-ganha” é uma técnica que pode ser ensinada, e preconizou que a ordem dos advogados treine os patronos para a sua realização e as faculdades de Direito ensinem seus alunos.

Segundo John Clifford, para que a implantação da cultura da mediação seja bem-sucedida é preciso fazer com que os advogados acreditem em sua eficácia, inclusive como fonte de melhora de rendimentos.

No que tange ao gerenciamento de casos, ele ressaltou a importância da participação mais efetiva dos advogados na instrução processual, indicando os pontos controvertidos da lide e as leis aplicáveis ao caso por meio de memoriais, o que facilita a tarefa do juiz.

Também compuseram a mesa de honra do evento o desembargador Kazuo Watanabe; o coordenador da área de Formas Alternativas de Solução de Conflitos e Justiça Restaurativa e integrante do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos do TJSP (Nupemec), juiz Ricardo Pereira Júnior; o advogado Ricardo Cerqueira Leite; e o advogado norte-americano Douglas McAllister.

FONTE: TJSP